Torre de Transmissão - Quando o Poder Público contribui para o prejuízo do cidadão - Parte II

Por / Em 19/02/2013

           


    Mais uma vez apresentamos ao leitor o que o descaso e a negligência por parte do Poder Foto Dyrceu PinheiroPúblico Municipal podem causar.

    Desde que a nova gestão assumiu, vem apurando, dia após dia, casos absurdos que quando descritos são quase que inacreditáveis, uma herança maldita que tem causado um grande problema: a Torre de Transmissão de TV, de Santo Antônio de Pádua, não estava emitindo o sinal de forma regular, comprometendo a transmissão dos principais canais de televisão.   

    As condições, não só da torre, como também da aparelhagem de transmissão, são completamente precárias: umidade, ferrugem, cupins e, pasmem, um cavalo! Isso mesmo! Um cavalo foi encontrado morto e infecto dentro da cabine onde se encontra toda a aparelhagem de transmissão.

Foto Dyrceu Pinheiro

    Segundo a equipe que lá esteve, pelo estado elevado de decomposição do animal, pressupõe-se que o mesmo estava por ali já há algum tempo.

    O local não apresentava nenhum tipo de segurança, pois qualquer um poderia entrar, para isso, bastando quebrar um basculante ou empurrar uma porta sem tranca.

Foto Dyrceu Pinheiro

    Em resumo, a Torre de Transmissão foi encontrada em estado deplorável e poderia ter colocado em risco até a vida de pessoas, pois foi preciso solicitar a ajuda da AMPLA para retirar o lacre do relógio da torre, que entrou em curto circuito.

    A população carente, que é quem depende desse serviço, ficou desassistida, praticamente, desde setembro de 2012. O que é terrível, porque a televisão além de ser um veículo de entretenimento é, ao mesmo tempo, um canal de informação.  

    Nada disso estaria acontecendo se, anteriormente, houvesse investimentos necessários para a manutenção e conservação, não só da Torre de Transmissão, como também da cabine e de toda aparelhagem que nela se encontra.

    É muito desagradável para a atual gestão ter de lidar com mais este problema, mais um na lista de tantos outros. E essa conta quem paga, novamente, é você cidadão!