Prefeitura de Pádua propõe a criação da Unidade de Conservação da Serra de Frecheiras

Por ASCOM / Em 22/02/2013

           


    A beleza imponente da Serra de Frecheiras encanta paduanos e visitantes que a vislumbram no horizonte. Com o objetivo de recuperar a mata e a fauna nativas daquela região a Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Pádua está propondo a criação de uma Unidade de Conservação Ambiental para proteger e valorizar este patrimônio natural. Em audiência pública realizada na noite desta quinta-feira (21/02) no Teatro Municipal Geraldo Tavares André, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil apresentou a proposta à comunidade. Consultar a população é uma das premissas da nova gestão municipal, que inicia um governo transparente e quer a participação popular nas decisões importantes para o desenvolvimento do município.

 

    Na abertura, o prefeito Josias Quintal externou sua preocupação com o grau de degradação ambiental do município. "Hoje temos a necessidade de compensar o passivo negativo que as gerações passadas nos deixaram. Temos o desafio de transformar morros em florestas", disse Quintal. O prefeito reforçou que o progresso não pode ir na contramão da natureza e que a prefeitura irá buscar parcerias para estender as ações de reflorestamento e preservação a todas as áreas prejudicadas, incluindo os distritos. "Vocês irão testemunhar mudanças significativas na área ambiental de Pádua. Deixaremos um legado importante para nossos descendentes", afirmou Quintal.

    Ambientalista, conhecedor e defensor da serra, Hilton Marinho apresentou dados e fotos da Serra de Frecheiras, ressaltando a possibilidade da criação de corredores ecológicos para interligar áreas com remanescentes da mata atlântica. A possibilidade de desenvolver o turismo ecológico na serra também foi destacada. A serra já possui seis vias de escalada e centenas de pessoas costumam subir por trilha e acampar no pico do monte durante o inverno.

    O topógrafo Cássio Gomide georreferenciou a área. O projeto inicial prevê que a UC da Serra de Frecheiras tenha 240 hectares destinados à preservação. Secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil, Otony Júnior esclareceu que a criação desta UC atenderá a uma exigência do Ministério Público. "Há mais de dez anos a prefeitura se comprometeu a proteger a Serra de Frecheiras como contrapartida municipal para compensar os efeitos de degradação da extração de pedras no município. Este TAC (Termo de Ajuste de Conduta) foi assinado, mas só agora será cumprido", informou o secretário.

    Lúcio Daher, subsecretário da pasta, explicou que será criado um Conselho Consultivo que irá participar da elaboração, avaliação e execução dos projetos relativos à UC. Ambientalistas, técnicos e proprietários de terras expuseram suas ideias. O debate foi saudável e proveitoso, e começou a desenhar o caminho a ser percorrido para a concretização desta proposta. Instituições como o DRM (Departamento de Recursos Minerais), INEA (Instituto Estadual do Ambiente), UFF (Universidade Federal Fluminense), UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) serão parcerias da prefeitura. Assim como a UHE Itaocara, empresa que terá de fazer compensação ambiental pela área que será alagada para construção da usina hidroelétrica na região.


Proprietários participarão do processo

    A audiência pública foi o início de um processo que prevê novos estudos na área, consultas à legislação e entendimento com os proprietários de terras na Serra de Frecheiras, para que ninguém seja prejudicado. George Mulim, representando a proprietária de 81 hectares composto por mata regenerada, afirmou que a preservação já está imbuída na maioria dos proprietários e elogiou a abertura do diálogo sobre a questão. "Estamos à disposição da prefeitura para conversar e encontrar o melhor meio para preservar a Serra", disse George.

    Helvia Serrão Tavares, uma das proprietárias da Fazenda Floresta, localizada no pé da serra, quer se manter informada e participar das decisões. "Temos a consciência de preservar, mas também temos que defender nossos interesses", disse Helvia. Josias Quintal assegurou este direito. "Seremos cuidadosos e justos. Vamos conversar com todos e teremos a sensibilidade de evitar prejuízos para os proprietários", garantiu o prefeito.